setembro 02, 2008

Os Dias da América (10)

"What brings you to this little dot on the pennsylvania map?", pergunta o velhote, com um sotaque serrado, no balcão do único restaurante da vila de Renovo, no nordeste da Pennsylvania, encravada entre a Tioga State Forest, no Tioga Country, e a Susquehannock State Forest, enquanto bebe café e eu mordo umas hot wings. Nada de especial, respondo. We are just driving across Pennsylvania, now coming from Gaines and Wellsboro, junto ao denominado Grand Canyon da Pennsylvania, quase no estado de New York. Depois disto, a conversa não termina. O velhote conta como vive desde sempre em Renovo e conhece todas as redondezas. Na América é assim, por qualquer coisa as pessoas metem conversa umas com as outras e começam diálogos intermináveis, mas sempre simpáticos. Normalmente, na estrada a conversa gira à volta de quem somos, donde viemos e para onde vamos. É uma questão de espírito. A Pennsylvania também é uma questão de espírito, em muito. É um dos maiores estados dos Eastern USA, ocupa uma espécie de rectângulo, e possui uma espécie de carácter próprio, que começa em Philadelfia, passa pelo Dutch County, no Sul, nas zonas de Lancaster, onde vivem as comunidades Amish, por Gettysburg, onde o Norte venceu o Sul na Guerra Civil, percorres as intermináveis planícies, e encerra-se nas suas florestas vastíssimas e desconhecidas, a norte, como a Allegehny National Forest, habitadas por ursos pretos e lobos, cruzadas por rápidos de rios, e onde a nossa imaginação começa nos inúmeros filmes americanos e acaba no imenso emaranhados das árvores. Cruzar a Pennsylvania de carro também requer espírito e vontade, principalmente quando se sai das interstates e se entra nas estradas nacionais e secundárias, onde a América nos mostra a sua faceta única, incomparável, e quando o próprio acto de conduzir nas estradas e atravessar os estados é já de si um theme, uma religião, habitada pela sua panfernalia própria, como os diners, os móteis, os hóteis de estrada, as rest areas com free coffee, os camiões com as matrículas do Nebraska, do Ohio, do Minnesota e do Wisconsin, e as centenas de motards nas suas harley davinsons, como os seus códigos rígidos. A música também teo o seu lugar importantíssimo e ao atravessar a Pennsylvania para norte Bob Dylan parece uma fabulosa opção, principalmente quando a estrada nos conduz na direcção do Canadá e ouvimos essa belíssima canção que é Girl of The North Country. Isto é a América. Mas estar no sopé da Tioga Forest, no Tioga County, a descansar enquanto se trincam umas wings, e ouvir no restaurante as conversas dos clientes a almoçar tranquilamente durante o labor day, também é a América profunda, se bem que a 4.0000 km longe do Colorado ou do Arizona, bem enraízada numa Pennsylvania remota, que estranha os visitantes que acaso ali passam, just driving along, driving fast, como na outra canção, a de Bruce Springsteen. Mas se isto não é a América, o que será ela então?

Etiquetas: ,

1 Comments:

Blogger Maria said...

regista se com agrado a data em esta redaccão é descrita.Dia 2 de setembro,data memoravel. Lindo e gostava tambem de conhecer o autor e as paisagens que mostra

17:49  

Enviar um comentário

<< Home